top of page

Quem sou eu, de verdade? Já se fez esta pergunta?



Uma das coisas que sempre apregoo é a INDIVISIBILIDADE do ser. A persistência humana em compartimentalizar a vida, os sentimentos, os momentos e até mesmo as experiências como se cada um de nós fosse um grande arquivo repleto de gavetas, contradiz diretamente a neuroplástica das conexões neurais que fazem a nossa essência.

Lidar com os traumas faz parte da experiência da resiliência, "muito mais é capaz aquele que enfrenta com consciência suas próprias experiências". Se somos UNO, corpo, mente e alma, ação, reflexão e oração, como separar ou compartimentalizar a vida como se barreiras analógicas existissem dentro de cada um no universo que somos em si?

Uma expressão que sempre gosto de usar: "Quem ME roubou de MIM mesmo?"

Este é o meu ponto, o “ser antifrágil” é aquele que entende que a compartimentalização não é a realidade biológico-racional do ser humano. Este ser antifrágil (aliás o Nassim Taleb que o diga), precisa perseverar e crescer no caos aparente.

Muito mais do que um sentimento, resiliência significa realmente AÇÃO! Precisa começar na consciência de que somos seres capazes de muito mais do que imaginamos e que para nós existe um caminho ideal que é somente nosso e que ao não buscá-lo deixamos passar o que de melhor nos foi reservado.

Tenho muito para desdobrar nesta jornada, precisamos encontrar em nós mesmos a razão que nos faz buscar nosso PROPÓSITO. Como eu sempre digo:

"Quem tem propósito faz de PROPÓSITO!"

Comece hoje mesmo a buscar acelerar ainda mais o reconhecimento de que transformamos a realidade dos negócios ao transformar cada vida que os toca!

Se puder te ajudar nesta descoberta EU terei cumprido o meu propósito. Vamos nessa? A gente se vê!

A paz para você 🙏

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page